Categoria: debian

Análise do Debian 7 Wheezy

A última versão estável do Debian, a 7.0 ( Wheezy ) foi lançada no último dia 04/05/2013 e isso é sempre um grande acontecimento pois trata-se da principal distribuição em atividade hoje em dia, pois a maioria das distribuições tem origem no Debian, então quer vocẽ goste ou não da distribuição, é inegável que ela dita tendências.

No site oficial há uma descrição dos novos recursos (alguns muito interessantes como o suporte a multiarquitetura), mas ainda não tive tempo de testar, o que vou descrever aqui são as impressões que tive em 5 dias de uso no trabalho.

De cara, a grande suspresa é o ambiente gráfico padrão, muito se disse com relação ao Debian abandonar o Gnome e adotar o Xfce, etc, mas isso não aconteceu, o Gnome3 é o ambiente gráfico padrão da distribuição. Entretanto pode-se optar por usar o modo clássico (Gnome classic) na janela de login. Nesta opção tem-se um desktop muito parecido com o tradicional Gnome 2x. Se ainda assim não agradar é possível baixar dos repositórios KDe, Xfce, Lxde, etc, porém Mate, Cinnamonn e Unity não estão disponíveis, devem ser instalados apartir de repositórios de terceiros. O mesmo vale para softwares populares em outras distribuições como Skype, Firefox, Thunderbird, etc. Nesta questão dos repositórios o Debian continua o mesmo, sendo bem criterioso e permitindo apenas pacotes muito estáveis e que se adequam a sua política de licenciamento.

Estabilidade e performance continuam nota 1000, o sistema não trava e é muito rápido, mesmo rodando o Gnome Shell não ocorreram bugs e lentidão experimentadas em outras distribuições.

Também não temos nada de Upstart, Plymouth, Lightdm, e outras coisa que foram vistas em outras distribuições recentes. Tudo continua com a mesma filosofia de se fazer um sistema incrivelmente simples e MUITO estável.

Concluindo, o Debian continua sendo a paltaforma Linux universal, onde vocẽ tem a liberdadee de configurar o sistema que você desejar para a finalidade que precisar.

debian_7_wheezy

debian_7_wheezy

debian_7_wheezy

debian_7_wheezy

 

Anúncios

Acesso externo ao Mysql (bind-address)

Se você instalou o Mysql no Debian, Ubuntu ou derivados e esta tentando se conectar externamente (mesmo que seja pela rede local) deve estar recebendo uma mensagem de erro ‘_mysql_exceptions.operationalerror’ .

Para resolver este problema abra o arquivo my.cnf que está em /etc/mysql e comente a linha bind-address = 127.0.0.1.

Reinicie o mysql.

Evidentemente esta dica se aplica para os casos em que um usuário com acesso externo já esteja cadastrado no Mysql. Se ainda não tem, veja exemplo abaixo para adicionar o usuário “teste” com controle administrativo total quando logado no cliente “192.168.0.15”:

mysql> CREATE USER 'teste'@'192.168.0.15' IDENTIFIED BY 'senha';
mysql> GRANT ALL PRIVILEGES ON *.* TO 'teste'@'192.168.0.15' WITH GRANT OPTION;

Um Ano Sem Reboot

Não é para qualquer S.O. não, um ano rodando sem reboot é para poucos. E esta máquina não é nenhum server esquecido com meia duzia de acessos por dia não, trata-se de um server LAMP, que roda um sistema com acessos multiplos de 150 usuários por dia. Manipula uma base de dados com alguns milhões de registros e roda diversos serviços  em background madruga adentro.
Como meu trabalho depende 100% desta máquina, meus sinceros agradecimentos a equipe de desenvolvimento do Debian.

um_ano_sem_reboot

um_ano_sem_reboot

Anti aliasing no Debian Squeeze

Segundo o pŕoprio Wiki do Debian, o Squeeze apresenta uma qualidade inferior na renderização das fontes se comparado com distribuições derivadas dela mesmo, como Ubuntu e Mint. A explicação estaria nos pacotes do Cairo que tiveram atualizações significativas e que só serão incorporadas ao Wheezy (nova versão do Debian).

Mas é possível melhorar esta configuração, em seu diretório Home crie um arquivo chamado “.fonts.conf” com o seguinte conteúdo:


<?xml version='1.0'?>
<!DOCTYPE fontconfig SYSTEM 'fonts.dtd'>
<fontconfig>
 <match target="font">
  <edit mode="assign" name="rgba">
   <const>rgb</const>
  </edit>
 </match>
 <match target="font">
  <edit mode="assign" name="hinting">
   <bool>true</bool>
  </edit>
 </match>
 <match target="font">
  <edit mode="assign" name="hintstyle">
   <const>hintslight</const>
  </edit>
 </match>
 <match target="font">
  <edit mode="assign" name="antialias">
   <bool>true</bool>
  </edit>
 </match>
  <match target="font">
    <edit mode="assign" name="lcdfilter">
      <const>lcddefault</const>
    </edit>
  </match>
</fontconfig>

Reinicie o servidor X e o anti aliasing será aplicado em todas as fontes do sistema.

Evidentemente os parâmetros deste XML podem ser customizados:

-hintstyle aceita os valores: hintfull, hintmedium, hintslight e hintnone.

-rgba aceita os valroes RGB, BGR, V-RGB e V-BGR.

-lcdfilter aceita os valores lcddefault, lcdlight, lcdlegacy e lcdnone.

Em meus testes houve uma melhora significativa, principalmente diminuido o tamanho das fontes (costumo usar sans 8), mas não chegou ao nível do Ubuntu e Mint. Alguns programas não reconheceram as configuraçẽos e continuaram com as fontes embaralhadas como o Opera e o Evince.